Lista completa de exames bioquímicos para identificação de falhas nutricionais

sexta-feira, 1 de maio de 2015

por Yana Glaser

A solicitação de exames bioquímicos é uma prática do nutricionista para que seja realizada uma prescrição dietética fidedigna. Essa afirmativa se encontra na lei nº 8.234,17, de 17 de setembro de 1991. Resolução nº 306,25 de fevereiro de 2003 do Conselho Federal de Nutricionista (CFN).
Os exames bioquímicos são exames complementares que possibilitam averiguar a individualidade bioquímica de cada indivíduo, em conjunto com os sinais clínicos e avaliação dietética. A utilização da avaliação de exames laboratoriais na pratica clínica possibilita a detecção de deficiências nutricionais. É muito importante que uma equipe MULTIDISCIPLINAR esteja por trás da leitura. Medico Clinico Esportivo, nutricionista, endócrino e nutrólogo, sempre trabalhando em conjunto têm mais resultados.
 
Há vários exames que podem identificar falhas nutricionais na alimentação, veja alguns deles:
 
 
Ácido Fólico:
Indicado para anemia megaloblástica e para estado nutricional do ácido fólico, cujos valores de referência são 5 a 15mg/ml, consegue portanto identificar uma anemia perniciosa, deficiência nutricional por fatores como alcoolismo, anorexia nervosa, doenças crônicas, má absorção (em caso de doenças celíacas), entre outras características, mas que não se tratam de falhas nutricionais.
 
 
Albumina sérica:
Indicado para detectar má absorção intestinal de proteínas. Os valores de referência para esse exame, para uma pessoa nutrida é maior que mg/dl. Para uma pessoa levemente desnutrida, de 3 a 3,5mg/dl. Nos casos de pessoas moderadamente desnutridas, de 2,4 a 2,9mg/dl e para gravemente desnutridos a variável é menor que 2,4mg/dl
 
 
Cobre sérico:
Indicado para avaliação de deferência de cobre com dosagem de ceruloplasmina e toxicidade do cobre. Os valores de referência para homens vão de 70 a 70ug/dl e para mulheres de 85 a 155ug/dl. Nos casos de valores elevados, é uma possível anemia (perniciosa, megablástica, ferropênica, aplástica). Quando os valores de anormalidades estão abaixo, um dos possíveis diagnósticos é a deficiência de cobre.
 
 
Colesterol total sérico:
Esse exame pode apresentar várias indicações para sua solicitação, como avaliação da função hepática, colesterol total, fatores de risco associados, entre outros. Seus valores de referências são classificados em 3 tipos: Ótimo, quando apresenta valor menor que 200mg/dl; limítrofe, quando no intervalo de 200 a 239 mg/dl e alto, quando maior que 240mg/dl. Em se tratando de falha nutricional, ela acontece quando os valores estão abaixo, tratando-se assim de uma anemia crônica.
 
 
D-Xilose:
Exame indicado para má absorção intestinal, onde os valores de referência variam de 20 a 52mg/dl. Esse exame só possui essa finalidade.
 
 
Ferritina sérica:
A indicação para esse exame seria a detecção e monitoramento de doença do ferro e a determinação da resposta ao tratamento da deficiência de ferro e anemia de doença crônica. Os valores de referência apresentam diferenças para os homens e mulheres. No caso de homens, a variável é de 30 a 300ng/dl e das mulheres, de 100 a 200ng/dl.
 
 
Ferro sérico:
Utilizado para diagnóstico de diferentes tipos de anemias. Os valores de referência vão de 300 a 160ug/dl.
 
Hemograma:
Para diagnósticos de anemias entre outras deficiências/excessos, onde os leucócitos devem apresentar variável de 4000 a11 células/mm³. Neutrófilos bastonetes de 3 a 5% (150 a 400 células/mm³). Neutrófilos segmentados de 55 a65% (3000 a 5000 células/mm³). Eosinófilos de 2 a 6%. Quando os valores estão abaixo é possível identificar anemias hemolíticas/ anemias hemorrágicas.
 
 
Insulina plasmática:
Utilizado para um diagnóstico diferenciado de hipoglicemia, onde os valores são de 2,5 a25UI/ml podendo identificar nos valores elevados uma diabetes não tratada em pacientes obesos e nos valores abaixo uma diabetes melito grave associado a acetose e perda ponderal.
 
 
Sódio sérico:
Seu objetivo é o diagnóstico e tratamento de hidratação e desidratação, onde as variáveis vão de 135 a145 mEq/l.
Há outras possibilidades de exames como Glicemia, Frutosamina, Provas de função renal, Ácido úrico, Proteinograma, Eletrosferase de proteínas, Perfil lipídico, Perfil hepático, Perfil pancreático, Perfil cardíaco, Perfil muscular, Eletrólitos, ALT/GTP, AST/TGP, Hipocalemia etc.. É importante citar que os valores de referência dependem do método analítico, do tipo de amostra e do laboratório que executa o exame. Desse modo, é importante fazer a interpretação dos exames de acordo com as variáveis do laboratório.
 
 

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Follow by Email

Be More no Facebook

No Instagram @bemoreblog

Contatos

contato@bemoreblog.com.br
Amanda Accioli
11- 996690432
Jacqueline Abon Ali
11-983431234

BLOG BE MORE

Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados