Surfando em El Salvador com Ricardo Tatuí

segunda-feira, 10 de novembro de 2014




Eu tive uma bela surpresa ao ir para El Salvador agora em setembro de 2014: realmente eu não esperava surfar tanta onda boa e com poucas pessoas, fato que não vai demorar para mudar. 

El Salvador é um pequeno país da América Central que está entre a fronteira da Guatemala e Honduras, e a leste o Golfo de Fonseca, sua língua oficial é o Espanhol e a moeda  é o Dólar Americano. 

O país sofreu com uma guerra civil que duraram 12 anos, terminando os conflitos em 1992. 

Hoje 22 anos após o término desta o país segue em um desenvolvimento constante do turismo. 
Além das suas ruínas Maias e Vulcões, El Salvador é conhecido mundialmente como um dos melhores países da América Central para a prática do surf, em sua maioria Point Breaks para a direita com fundo de pedras. 

A  guerra civil de 12 anos, custou às vidas de aproximadamente 75 000 pessoas. Este número porém, não conta os desaparecidos que se estima estejam ao redor de 20 a 40 mil. A guerra chegou ao fim em 1992, quando o governo de direita e a guerrilha de esquerda assinaram um tratado que levou a reformas militares e políticas.

Quem já viajou por lá sabe o que é conviver com uma população que viveu essa guerra civil, sem dúvida, o SURFE está contribuindo da sua forma na restruturação da economia local.

Além do Surfe esse país oferece passeios por sítios arqueológicos, vulcões impressionantes, artesanato e muita cultura.

Resumindo, El Salvador é um paraíso para os surfistas que estão em busca de qualidade e consistência de ondas.

Oferece excelentes condições para uma surf trip, água quente em torno dos 26ºC,  visuais compostos por vulcões e belas praias. 

A costa Salvadorenha possui 320 quilômetros voltada para o Oceano Pacífico,  oferece pelo menos 10 ondas denominadas ‘’world class’’, em sua grande maioria, point breaks para a direita. Muitas dessas ondas quebram com extensão entre 100 e 200 metros. 

El Salvador apresenta uma incrível média, com ondas quebrando por volta de 300 dias no ano, na maioria deles, com pouco crowd. 

El Salvador tem uma estação seca (novembro-abril) e uma estação chuvosa (maio-outubro). 

Ninguém deve deixar de ir a El Salvador na estação chuvosa, pois essa é a temporada onde as ondulações de sul atingem o país. A maioria dos dias é ensolarada com ocasionais pancadas de chuva à tarde e a noite. Nessa época geralmente o surf é maior, em média de 4-7 pés.

 A estação seca, ou “verão” (novembro-abril), oferece belas e ensolaradas condições com ventos não muito favoráveis e alguns períodos de flat.

O Brasil infelizmente é muito ruim de ondas, salvo em alguns picos e praias, e diante desse quadro, quem não pode viajar, sempre está sujeito à ondas de baixa qualidade no nosso Brasil, e quem pode viajar acaba aumentando sempre a estatística de "crawde" no mundo do surf, que transborda de surfistas espalhados pelo mundo, sendo o brasileiro quase o número um em têrmos de buscar ondas em picos exóticos, o verdadeiro "the surch" ou "the suck". 

Bom, voltando à El Salvador, antes de ir as pessoas ficavam falando: "cuidado, não faça isso ou aquilo", eu cheguei a conclusão que alguns surfistas vacilam, por que fomos em 5: Paulo Rid, Gelson, Humberto Moll e Xangrila, todos surfistas de Itacoatiara, acostumados a ondas fortes e fechadas e a primeira providência ao chegar no pico, foi arrumar um surf guia.

O surf guia geralmente é o cara que precisa ganhar dinheiro no período que você estiver lá, então procure um cara que seja local e realmente conheça a região.

Conhecemos Poio ("galinha"), guia local que conhecia muito bem a região e por 80 dólares a diária com carro (e ainda filmava rs), e como tínhamos uma semana marcamos com ele todos os dias para conhecer todos os picos possíveis e surfáveis, e todo dia olhávamos o pico na frente do hotel: Ocaina e outro  à 100 metros, o Sunzal, e após checar ou cair, íamos depois para lugares um pouco mais distantes.

Me chamou muita atenção um pico chamado El Zonte, no kilometro 59 e Mizata, A prancha ideal para levar seria uma pequena 5´11, uma intermediaria 6´1 e uma prancha que ature ondas maiores 6´3.

Explicando melhor: El Salvador está dividido em 2 principais zonas de surf : 

A primeira delas, no noroeste, que engloba vários ‘’points’’ de alta qualidade a partir da cidade costeira de La Libertad (apenas 30 minutos de carro do aeroporto) e se estende por cerca de uma hora de carro para o norte ao longo de uma costa montanhosa, passando por Sunzal e El Zonte.

A outra área é conhecida como o Leste Selvagem e fica a cerca de 3 horas de carro sentido leste ao longo da costa. Esta área remota é menos movimentada, lá estão situadas duas ondas “world class” , também para a direita, Las Flores e Punta Mango.

Você pode levar um pacote com 3 pranchas e vai pagar 50 dólares. A alimentação é muito boa, também baseada em frutos do mar.

Voltando ao surf, todo dia tinha onda boa com muito pouco vento e surfávamos em pelo menos  2 picos diferentes, na grande maioria direitas Conclusão,  se você realmente gosta de surfar e tem condições de viajar, tem muito pico espalhado pelo mundo que vale a pena!!! A América Central está do nosso lado e tem altas Ondas!

El Salvador,Nicarágua,Costa Rica, Guatemala,Equador são alguns exemplos de lugares com preço legal e com altas ondas,junte seus amigos e alohaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

Um abração para todos e até a próxima
por aqui no Be More

Aloha!

Ricardo Tatuí







Ricardo Tatuí é surfista profissional, micro empresário e morador da cidade de Niterói, que fica no Rio de Janeiro, Brasil. Esse atleta que surfa desde 1980, iniciou essa atividade esportiva na pedra do Itapuca, em Niterói. Tatuí foi campeão do WT, na França, foi o primeiro campeão de surf na Pororoca, campeão brasileiro amador e carioca, campeão carioca profissional, campeão Master 2010 carioca, Terceiro no ranking brasileiro Master 2010, campeão brasileiro 87 e vice Brasileiro pro 2002 e 2004. Também possui o Instituto Tatuí cujo objetivo é proporcionar às crianças e adolescentes a prática do surf como mecanismo de integração social. E agora colunista do blog site Be More que fala de esportes, saúde e bem estar.
Contato: https://www.facebook.com/ricardoaguiar.tatui?fref=ts








Nenhum comentário :

Postar um comentário

Follow by Email

Be More no Facebook

No Instagram @bemoreblog

Contatos

contato@bemoreblog.com.br
Amanda Accioli
11- 996690432
Jacqueline Abon Ali
11-983431234

BLOG BE MORE

Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados