Maratonista, corredora e Mamãe

sexta-feira, 3 de outubro de 2014


Treinava alucinadamente para minha segunda  maratona –  isso mesmo  em um ano eu ja estava indo para a segunda – num outro post  vou contar pra vocês como cheguei na primeira maratona. São muitas histórias engraçadas, aventuras e superações distribuidos em centenas de quilometros.  
Os treinos longos estavam bem no início. Fazia algo entre 12K e 15K aos sábados na USP e dois treinos de tiros durante a semana, além de dois treinos leves de uma hora cada.
Corria praticamente 5 vezes na semana... mas comecei a me sentir cansada, mais cansada que o normal.

Eu sempre digo que ninguém melhor do que nós mesmos para conhecer nosso corpo e nossos limites e eu percebi que havia algo diferente.
No final de semana do dia 12 de julho eu fiz um longo de 14K, cansada e ofegante. No domingo conversando com meu marido concluímos que eu poderia estar grávida - era nosso desejo.
Eu inicialmente descartei a ideia, pois na minha cabeça se fosse isso mesmo, teria acontecido muito rápido eu eu realmente não imaginava engravidar rápido aos 38 anos.

E acabei esquecendo dessa história.
Na terça-feira seguinte eu me lembrei da nossa conversa e fiz um teste de farmácia e, o resultado não poderia ser melhor – sim eu estava grávida.
Desesperada, fui ao hospital para confirmar o teste e, confirmado mais uma vez – eu estava grávida.

É engraçado o mix de sensações nesse momento. A ficha demora pra cair... e a vida num instante muda – pra melhor.
A essa altura a maratona já tinha ido para o espaço e eu, não tinha a menor ideia se continuaria correndo ou não.

Como o médico estava marcado para a próxima semana, o final de semana que seguiu após a descoberta foi de uma longa caminhada de 6K na USP bem de leve.
Primeira caminhada já sabendo do Arthur
 
Essa nossa primeira caminhada foi incrível. Foram 6K ouvindo muito Rock’n Roll e admirando uma das cenas mais deliciosas dos meus finais de semana – pessoas praticando esporte, correndo, pedalando, andando e felizes – cada um dentro de seu objetivo pessoal – na paisagem bucólica da USP com um dia de sol perfeito e não muito quente ao lado de nossos amigos e do papai mais lindo do mundo!
Quando descobri minha gestação eu estava com 5 semanas – isso é pouco mais de um mês. A indicação do meu médico é de que eu esperasse completar as 12 semanas – ou seja  os tres meses para voltar a praticar exercícios, certamente bem mais leves do que o costume.

 
 
Uma foto do Arthur na barriga durante a caminhada
Neste período continuei fazendo minhas caminhadas durante a semana na esteira, aproveitando os lugares de minhas viagens e aos finais de semana fazia o “longo” caminhando 6K ou 7K na USP.
Quando completei as 12 semanas, fui liberada para correr, o que me deixou imensamente feliz, pois poderia mesmo com moderação, fazer uma das coisas que mais gosto e ao mesmo tempo levar meu bebe junto comigo.
 
Treino de 6K na Praia de Boa Viagem em Recife

Comecei correndo lentamente, 6K, 9K – nada de longos ou de querer dar tudo de mim para fazer um super tempo.
O objetivo agora é somente me sentir bem e ao mesmo tempo me exercitar, afinal, eu treinava  5 vezes na semana antes de engravidar.

De acordo com meu médico o ideal é que a gestante não mude muito sua rotina, portanto se antes era praticante de esportes pode continuar a praticar desde que não tenha uma gravidez de risco.
O mesmo vale ao contrário – se tinha uma vida sedentária, não pode querer  “virar atleta” na gravidez.
Eu  queria engravidar novamente (já tenho uma "Barbie" como costumo dizer) e sempre achei que seria mãe de um menino. Sei lá... talvez sexto sentido materno.

Minha filha é mais velha, estudante de medicina e mora em outro estado. Sempre que estamos juntas, tento passar um pouco da minha paixão pela corrida e ela sempre que pode me faz companhia – é demais!!
Nós duas correndo na Beira-Mar - Floripa - SC
 
Enfim, meu bebe é um menino – Arthur.
Nosso Arthur que já correu mais de 100K na barriga – afinal quando descobri estava com 5 semanas e treinando para a maratona - continua correndo.


Treino de 7K no Parque Ibirapuera - SP
Quando cheguei na 12a. semana, fizemos um treino com o papai no Ibirapuera para comemorar minha volta as pistas.
Mais uma vez um treino incrível, um dia lindo com sol e temperatura agradável, uma vez que ainda estávamos em Agosto e o clima é ameno.
Decidimos traçar um objetivo e fazer uma prova de corrida com "barriga" para no futuro mostrar ao nosso Arthur que ele já fazia parte desse mundo.
Continuei meus treinos de maneira leve e divertida, curtindo a música, a paisagem e o bem-estar que a corrida me proporciona.




Nosso próximo desafio seria a Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar - uma prova que eu costumo dizer que é para se divertir e correr com os amigos.
Acabamos correndo a prova em 3 participantes. O papai seria o primeiro com 11K, eu seria a segunda com 10.5K e nosso amigo Wagner o terceiro e ultimo - ele faria dois trechos para completar seu treino longo do final de semana.
Tudo certo para a prova, treinos, kit na mão, acordamos as 4h40 da manhã e CHUVA!! Muita chuva!!
Confesso que não estava no script cair o mundo na hora da prova e, confesso também que pensei em desistir - coisa que eu nunca fiz - mas devido a situação atual, eu realmente tive medo de escorregar, cair e prejudicar o Arthur...
Como o primeiro da turma era o papai, decidimos que ele largaria e quando chegasse a minha vez, se ainda estivesse chovendo muito eu não correria.
Para nossa sorte e alegria, a chuva parou, ficando apenas uma garoa fina e, assim que o papai chegou eu fui.
Muita gente não gosta dessa prova, porque ela realmente é muito cheia - são mais de 30.000 participantes - porém na minha opinião, extremamente organizada - uma vez que temos que concordar que não é fácil organizar um revezamento desse tamanho.
O percurso é arduo - muitas subidas e muitos participantes que revezam em 8 (cada um corre em media 5K) andam na prova o que acaba atrapalhando um pouco quem corre.
Mas é uma prova alegre! Uma prova para os amigos.
Mais uma vez foi uma corrida incrível - corri bem os mais de 10K - 1h15 - esse tempo foi melhor que meu tempo na minha primeira prova de 10K na vida - 1h23, entretanto, longe de ser minha melhor marca.
Mas, como o objetivo não é superação de tempo e sim se divertir - objetivo cumprido com sucesso.


Papai e mamãe correndo - olha o Arthur na barriga!!

Ainda continuo os treinos cada vez mais leve, porque estou cada vez mais pesada.
A barriga não atrapalha - o que ocorre é que com o peso extra os joelhos doem, as canelas doem. Por isso é também tão importante "pegar leve".
Já temos um próximo objetivo definido e provavelmente o ultimo antes do Arthur nascer.
Mas este vai ficar para um próximo post

Bjoo
Até












Nenhum comentário :

Postar um comentário

Follow by Email

Be More no Facebook

No Instagram @bemoreblog

Contatos

contato@bemoreblog.com.br
Amanda Accioli
11- 996690432
Jacqueline Abon Ali
11-983431234

BLOG BE MORE

Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados