Santo André recebe 1º Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu para deficientes (Parajiu-jitsu) no dia 27 de setembro

quarta-feira, 24 de setembro de 2014


Nós do Be More apoiamos este evento e eu, Amanda Accioli, uma das sócias deste blog-site, estaráei lá para prestigiar este avanço no esporte inclusivo!




A cidade de Santo André vai receber o primeiro campeonato de Jiu Jitsu para pessoas com deficiências física, motora, intelectual, visual e auditiva.
No dia 27 de setembro, o Bairro Jardim, vai receber o evento que tem como objetivo abrir oportunidades para pessoas que não podem competir no mesmo nível que atletas sem deficiência.
Em comunicado a imprensa, a representante da organização, Patrícia Dembowski explicou como a Confederação trabalha e seus objetivos.
“A Confederação Brasileira Paradesportiva de Jiu-Jitsu foi fundada em 25 de Maio de 2014 na cidade de Santo André por 14 pessoas ligadas ao Jiu-Jitsu ou esporte. Equipe Multidisciplinar de Faixas-preta e atletas do Jiu-Jitsu, educadores físicos e fisioterapeutas. O diretor Técnico Rocian Gracie Jr é neto de Grande Mestre Carlos Gracie, que foi um dos criadores do Jiu-Jitsu Brasileiro.

A ideia da criação desta Confederação surgiu da necessidade de normatizar a prática desportiva e competitiva do Parajiu-Jitsu para que os atletas desta modalidade pudessem competir, praticar e valorizar-se no exercício da Arte Suave com regras adaptadas e específicas à cada deficiência.

Nos campeonatos oficiais das Confederações e Federações para atletas sem deficiência observávamos as inscrições de inúmeros atletas com deficiência. Atletas sem deficiência competindo contra atletas com deficiência com regras criadas especificamente para atletas sem deficiência.

Nossa motivação: assegurar que a prática do Jiu-Jitsu por deficientes físicos, motores, visuais, intelectuais e auditivos seja utilizada como ferramenta para o desenvolvimento integral da pessoa com deficiência como cidadão autônomo e participante, difundindo a capacidade dos atletas através dos resultados esportivos.

Alguns de nossos principais objetivos:

I –administrar, fiscalizar, regulamentar, controlar, supervisionar, difundir, promover, apoiar e incentivar a prática do Jiu-Jitsu para atletas com deficiência física, motora, visual, intelectual e auditiva,a nível nacional e internacional, por meio de um programa desportivo planejado e organizado, obedecendo as disposições gerais da legislação desportiva nacional vigente
II –promover, organizar, fiscalizar e participar de campeonatos, torneios e competições regionais, interestaduais, nacionais, internacionais e mundiais
III – representar o Jiu-Jitsu Paradesportivo em qualquer atividade de cunho nacional e internacional
IV – promover e incentivar o desenvolvimento de projetos de pesquisa, documentação, informação e história sobre o jiu-jitsu paradesportivo no País, contribuindo, assim, para o desenvolvimento do esporte, da ciência e da cultura dessa modalidade
V – celebrar convênios com entidades educacionais, de saúde e de desenvolvimento tecnológico, públicas e privadas, para incrementar e desenvolver a modalidade no Brasil
VI – prestar assessoria aos atletas com deficiência física, motora, visual, auditiva e intelectual, desenvolvendo atividades de assistência social como ferramenta de fortalecimento da cidadania dos paradesportistas.

Nossos  filiados hoje são: Fundadores, entidades, clubes ou congêneres que desenvolvam a prática do jiu-jitsu com deficientes físicos, motores, visuais, intelectuais e auditivos no Brasil.
Os benefícios para quem se torna integrante da Confederação é  poder escrever seu nome em um capítulo novo na história do Jiu-Jitsu, o Parajiu-Jitsu. Ter a assistência de uma entidade de administração do desporto oficial que lhe assegure competir, participar de seminários, difundir o Parajiu-Jitsu, dar reconhecimento oficial às suas conquistas, etc.

São requisitos para ser um integrante possuir comprovadamente através de Laudo Médico com Relátorio alguma deficiência classificada no Ministério da Saúde. Atestado médico liberando para a prática do Parajiu-Jitsu especificando quais as suas limitações. Segurança do praticante e atleta em primeiro lugar.

Iremos regulamentar no âmbito da CBPJJ através de cursos e seminários professores credenciados para o exercício específico do ensino do Parajiu-Jitsu.

Nosso plano futuro é incluir o Parajiu-Jitsu no rol de esportes da Paralimpíada.” destacou Patrícia.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Follow by Email

Be More no Facebook

No Instagram @bemoreblog

Contatos

contato@bemoreblog.com.br
Amanda Accioli
11- 996690432
Jacqueline Abon Ali
11-983431234

BLOG BE MORE

Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados